quarta-feira, 20 de novembro de 2013

a montanha de neve branca

cá estamos de novo. um mesmo sentimento com outra forma. Branca, simples, fácil de se encaixar neste hoje. um brinde de sol e um sorriso bonito, é exatamente isso que você significa pra mim. Sei que andas tentando me fazer não te esquecer e esse texto é a mostra pura de que você está indo muito bem.

você fala e eu confirmo, você dorme eu olho, você se exibe eu acato, você me acorda eu enrolo e isso tem virado uma bola de neve bem divertida, rolando montanha abaixo naturalmente, com ajuda da força da gravidade e uma boa dose de vodka, como a vida pede, você sabe.

eu já estive aqui, meu bem. Agora, olhando aqui de cima, vi que na maioria das vezes, foi sem querer. O ar fica rarefeito nessas horas e tenho usado isso como desculpa pra pensar sem a clareza necessária. A sensação que tenho agora não é de vitória pela chegada, mas curiosidade por aquilo que ainda há de vir. É claro que a gente se machuca e promete nunca mais voltar a trilhar sem antes ter pensado no preparo necessário. Mas ao longo do tempo, aprendi que o legal não é chegar logo, nem estar pronto, mas é curtir o caminho com calma. Que tempo é oxigênio para continuar e continuar e continuar.

vou te deixar ali, no canto direito, pra ver se isso me traz o equilíbrio que se pede em uma caminhada. Afinal, e se isso fosse feito a dois?

Guilherme Vilaggio Del Russo

2 comentários:

Desouza disse...

Salve, salve...
Gostei bastante de seus textos...
Espero le-los sempre...

Se quiser me fazer uma visita...

www.prsantosmissao.blogspot.com

Ps.:Seguindo vc...

Abracos, Desouza.

Anônimo disse...

Que texto encantador.