quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Sr. Excelentíssimo Grandíssimo Corrupto

Liberdade, segundo o dicionário da língua portuguesa: Faculdade de fazer ou de não fazer qualquer coisa, de escolher. Independência, conquistar a liberdade. Liberdade de opinião, de pensar, de exprimir cada um dos seus sentimentos, suas convicções.

Fazem 6 meses que apagamos essa palavra do dicionário brasileiro graças a uma ação judicial. Voltamos a ter a mentalidade da ditadura militar. 6 meses que jornais (Estadão, principalmente) e veículos de mídia são proibidos de criar, pensar ou veicular notícias referentes a uma tal "Operação boi-barrica". São problemas envolvendo a família do senhor Excelentíssimo Grandíssimo Corrupto, José Sarney, que indicam falsiodade ideológica, transições internacionais milionárias por debaixo dos panos, desvios de verba pública entre outras com típico tempero Brasuca. Um novo nome para um antigo problema, antes resolvido com mordaças, cacetetes e cordas penduradas. Hoje, vejam vocês, resolvidos pelo poder Jurídico. Deus do presente. Onipresente, Onipotente, Oniciente e Ordinário. Diz, o senhor Excelentíssimo Grandíssimo Corrupto, que a operação trata-se de problemas de família e de segredo de estado e por isso não deveria ser veiculada. E aí, eu lhe pergunto: Qual a função dos jornalistas senão justamente descobrir segredos que dizem respeito ao interesse público?

Trata-se nada mais do que Censura Prévia! Tão ridicúla quanto antiga. Não se analisa nada, simplesmente se impõe algo antes mesmo de existir. Algo como chegar em um cigano e lhe obrigar a prever um futuro bom. "Não se deve falar sobre isso. Ponto final." Mas de 30 sites, jornais e blogs que deveriam usar interrogações sendo obrigados a dar reticências. E nós, cidadãos de "Um País de Todos", obrigados a engolir o Excelentíssimo Grandíssimo Corrupto dizendo que nunca se intrometeu nas questões jornalísticas. Coincidência ou não, quando o pedido de retenção de reportagens envolvendo este tema chegou ao Jurídico , ele foi julgado por um juiz amigo de Sarney, que então criou esta ação... Ah! Seria melhor colocar uma placa escrito "Estúpidos" na nossa testa, senador! E o futuro é alarmante: se realmente essa ação for mantida por mais algum tempo, teremos a semente da censura germinando e somente uma "poda" de uma Emenda Constitucional poderá nos salvar. E, entre nós, para um país incapaz de organizar partidas de futebol civilizadas, imagine criar essa emenda...

E porque preciso de vocês: estou aqui somente defendendo a liberdade de expressão daqueles que pensam diferentemente de mim. Ou seja, você mesmo. Passou da hora de dizer que isso é Inconsitucional! Chegou o momento de usarmos os diplomas de jornallistas que não temos. Falar e reverberar. Vestir-se de megafones e alarmar a pessoa ao lado do risco que corremos. Não quero explicar aos meus filhos que Liberdade é meramente uma figura de linguagem.

Guilherme Vilaggio Del Russo

Um comentário:

Eduardo disse...

Du caralho, Guiga. Parabéns pelo post e pelo blog. Ambos estão bem bacanas.