domingo, 24 de outubro de 2010

Pra nós, da juventude.

Como usamos mal nossos vinte e poucos anos. Não posso acreditar que esse sangue inquieto possa trazer tão poucas atitudes interessantes para a sociedade. Não se "fez" uma juventude como antes. Continuamos com a vontade vã de reclamar, mas desta vez esquecemos a razão para tal. Vivemos uma época de levante da bandeira independente, sem esquecer da mesada dos pais. Precisamos mostrar muito mais do que palavras de efeito e viagens de intercâmbio.

Penso que devemos sim rasgar os filtros pré-definidos pelos outros desde que haja consciência e aceitação dos termos de responsabilidade sobre o instante posterior. Deixar de ser mimado nas palavras é uma vitória. Nas ações então, nem se fala. Mas, olha lá, mais um discurso engessado de um de nós que briga pela rebeldia sem causa, sem uma causa para se rebelar.

A juventude deveria ser tratada como época de aprendizado e não como oportunidade para transgredir os parâmetros do bom senso e da educação. Viva além.

Guilherme Vilaggio Del Russo

3 comentários:

Paula disse...

Suas palavras sempre certeiras. Parabéns, tuco. Muito orgulho =)

Kaathy disse...

Você é puta inteligente e escreve mt bem, suas palavras me convencem, talvez simplismente por se tratar da realidade.

augusto meneghin disse...

amém.