sábado, 11 de junho de 2011

Carta que não fará sentido amanhã de manhã.

Ei,

se está lendo esta carta, é que por um segundo tomei coragem para escrevê-la. A verdade é que 02:21 da manhã e estou aqui me perguntando o que você está fazendo agora. Já fazem alguns anos que me pergunto isso e nessas horas me sinto em ponto morto, caminhando por...caminhar. Nunca fui bom em falar, eu prefiro escrever, você sabe, mas hoje tá complicado. Mas te escrevo pra dizer que conheci uma pessoa. Uma só. É, faz um tempo, mas eu acho que eu não te contei sobre isso. Eu juro que foi acidente.

Ela é linda. Tem olhos que brilham no escuro e mais um monte de qualidades que eu pensei que só poderia encontrar no filmes de comédia romântica. Eu não estava bem preparado pra ela. Ok, pra dizer a verdade eu não queria estar preparado pra ela. Mas ela foi falando e argumentando e falando mais e foi fazendo sentido pra mim. Eu disse: quer arriscar? Óbvio, falando comigo mesmo. Foi como se eu entrasse em pane dentro de um bi-motor que vai em direção ao solo. Um centímetro mais perto do chão, um centrímetro a mais no meu sorriso. Quando vi, me peguei pensando que talvez fosse ela.

Ah, ela não é tão alta quanto as modelos. Mas tem pele moreninha jambo e cheiro de talco. Passou a ser minha dose diária de pipoca doce, mas do tipo que não enjoa na terceira vez. E beijava bem, parece que nossas bocas foram modeladas pro encaixe milimétrico.

Essa menina é você. Essa é a boa notícia. Logo eu, sim, eu sei. O menino de "arroiz" no email porque estava em todas. As pessoas mudam, eu tenho esse direito também.

A má notícia fica por conta da presente hora, exatos 02:39. Sim, em 15 minutos fiz o texto e não vou revisâ-lo. Deixa aí. Mas eu falava outra coisa. Eu não tenho a menor idéia de como te trazer de volta. O mundo é grande, inclusive a zona sul onde você deve estar agora com amigos e um possível namorado. Não sei por onde começar a te procurar. Tô com medo de ter piscado demais e ter te perdido. Bem naquela noite onde parecia que a gente tinha acabado de ensaiar uma cena. A gente conhecia a fala do outro de cor e fazia planos de ver mais seriados juntos. Talvez eu não tenha sido convincente ou tenha sido eu demais. É, talvez eu não valho muita coisa.

Guarde sua fé para outra pessoa. Para o amor, é isso. Esse ou um outro que você venha ou esteja vivendo. Ah, admiro tua paixão por all-star. O problema é que gosta daqueles brancos, sujam fácil, você sabe disso.

Aparece. Me liga, manda uma mensagem, manda um "ei" na minha timeline. Sinto tua falta, ás 03 da manhã.

De um distante teu,

Guilherme Vilaggio Del Russo


13 comentários:

Paula disse...

Incrível! Um dos melhores...

alfacinha disse...

sabe escrever persuasivo

Francielly Calheiros disse...

que texto apaixonado. simplesmente Lindo.

BELcrei disse...

è isso aí.
1 abç.
:-)

Diannus do Nemi disse...

Talvez a beleza da carta está no fato de que o destinatário, muito provavelmente, não irá conhecer o conteúdo...

Bonito mesmo.

Abraços!

Serrano disse...

Que paixão! Que pessimismo, rapaz! Mulheres há muitas!

Janny disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Claire disse...

You have an informative blog. I’ve learned something from it. I do have mine too www.claire-fernandez.blogspot.com... Thanks

Japa *BM* disse...

gostei muito *-*


dá uma olhadinha no meu blog e diz oquê acha ? não precisa ser por comentário.

http://yumisstuff.blogspot.com

Anônimo disse...

Ei!

@mrpitanga disse...

Ainda estou pensando se essa carta é séria. E, mesmo se não for, não vou me espantar. Existe muita emoção, muita paixão, e muito sentido - apesar do título. Congrats! (:

http://heavenswillburn.blogspot.com/

Monique disse...

Muito sincero e bonito.

Anônimo disse...

ameiiiiiiii PROCURA SEU AMOR.
veja cartas paraa julieta.