quarta-feira, 3 de agosto de 2011

um mundo nota 7.

Acendo o cigarro e olho para fora. O vento sopra forte, somente o silêncio me acompanha, a natureza parece abrir uma brecha para a conversa fiada. Talvez Deus esteja ouvindo, talvez esse seja um bom momento.

Que mundo estranho. As notícias pela manhã me dão conta disso. Perdão, as notícias que saem, já que tem algumas que ficam presas na rede pegajosa da censura, tão emoldura no século passado, tão em cores vivas nos dias atuais. Assassinos em escolas, ladrões em gabinetes públicos, palhaços no senado. Lugares e pessoas que não combinam, pólos negativos que por algum motivo infame da natureza, se atraem. Pessoas que não tem a doença crônica que me afeta pelas noites, de nome: respeito pelo próximo. Ligo a TV e lá está o cara do Porsche a 150 kilômetros, o sensacionalismo dos jornalistas brasileiros, um mundo de eterna guerra no oriente médio e eterna oscilação na bolsa. 9 horas e estou atrasado para o trabalho. É, é um mundo de merda mesmo.

Mas, como disse Eduardo Galeano, este mundo está grávido de outro. Um mundo de parto difícil. Um mundo criado e fecundado por nós, jovens que continuamos acreditando em uma realidade utópica, impossível de alcançar mas que serve de solado para amaciar a caminhada para a frente. Quero que meus filhos não tenham a possibilidade de imaginar um mundo melhor. Quero que eles já estejam nele. Que peguem esses travesseiros cheios de sonhos e realizem pela manhã e que em seus peitos arda uma vontade louca de amar. Não esse amor de confeitaria que vemos por aí, que de tão doce e sofisticado, perde o gosto. Um amor mais bolo de fubá, quente, macio. Quando nasce esse mundo, meu Deus?Você deve estar cego, mas não se faça de surdo.


Este mundo atual, dominado pelos senhores da democracia norte americana que ainda nos vêem como colônia de exploração, está cinza por que está no fim. Está frio porque ainda não há quem o esquente. Está estranho porque há mesmice, está desumano porque ainda não vendem esperança em sites de compra coletiva. Por enquanto. Meus dias são dias esperando e ajudando a construir um mundo menos nota 7.

Guilherme Vilaggio Del Russo

8 comentários:

Juh disse...

Pra vc não dizer que eu nunca mais passei por aqui...
Eu passo sempre! E esse, assim como todos, foi um texto de primeira!
Beijos, garotão! E que a gente possa filosofar em pouco tempo sobre o mundo melhor que vamos construir!

Maria gabriela disse...

Me apaixono cada dia mais por todos os seus textos, e pela bela alma que tem! Parabéns (:

Monique disse...

Eduardo Galeano: sempre complementando os pensamentos sociológicos ou pensamentos em geral... :)

Pastor Perry disse...

Thank you for sharing and allowing me to come into your world. I would like to be a blessing to you each and everyday. Please share my site with so I may be a blessing to them as well. You can visit me at http://perrythepastor.blogspot.com/

Marivan disse...

Passando para prestigiar suas novas postagens,
parabéns pelo blog e sucesso sempre!!!
abçs Marivan

GMR Design - Adesivos de parede disse...

Parabens, muito bom seu blog, bastante criativo e interessante... confira o nosso site
http://adesivos-lindos.com.br/adesivos-impressos.html

Jéssica França disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jéssica França disse...

Há muito tempo descobri o seu blog, por acaso. Sempre que me lembro, passo por aqui. Gosto muito do jeito como você escreve. Esse texto? Extremamente bom =]