sexta-feira, 25 de maio de 2012

Marmita

Ouço de longe o vinil velho. O que toca nele é Raul e eu lembro de minha mãe. Ah, mãe. Saudades da época em que eu era legal não é, mãe? Pequeno, indefeso. É, eu também sinto saudades, sabia? A gente não se cabia de tanta alegria quando você nos levava ao Mc Donalds e eu sonhava em passar a vida naquele lugar. Quantas foram as vezes que eu sonhei que você não repassaria a tabuada do 8 comigo quando chegasse do trabalho. Se hoje me cobro tanto é pra não perder o costume. E você gastou tantas horas da sua vida com nós e me parece que esqueceu de viver, esqueceu-se de si. Onde estão seus sonhos, desejos, vontades, mãe? Meu desejo hoje é que você cumpra o seu. Corte o bolo e faça um pedido pra VOCÊ.

Agora entendo que você nos exigia o mínimo e não a perfeição. Porque se contentar com o 5 se eu podia ter um 9? "Não se compare com a média. Ela é pouca e traiçoeira." Seu mantra em minha memória permanente. Que bom. Consigo enxergar que você sabia exatamente o que íamos passar e quis nos deixar prontos para tudo. Missão cumprida, mãe, descanse um pouco mais, deixe o sobrenome por nossa conta.

Pode parecer que as coisas andam meio cinzas lá fora mas é só neblina dificultando um pouco mais esses raios de sol. Há dias assim e eu sei que você balança neles. A vida não é só de entrega e 8 horas debaixo da coberta. Eu ainda acho que você se doa demais pelos outros e aperta o "soneca" de menos. Se dê a chance de chegar atrasada. Não se trata de um conselho para ser egoísta: é preocupação de ver sorrir aquela que não desgruda do giz.Você já é ótima professora, mãe. Da vida.

Não ando falando muito e o mundo me ensina a dizer cada vez menos, mas sinto sua falta no dia a dia. Que você sempre fique aí, com sua meia de lã azul , um estranho gosto por filmes de desenho e me dizendo que ainda considero nossa casa, um albergue. Eu te perdoo. E te amo.

ps: passado tantos anos você já pode dizer que eu fui o melhor guardador de louças que você já viu.

Guilherme Vilaggio Del Russo

5 comentários:

Regina disse...

Falar o que ? Pra variar enquanto escrevo lágrimas teimam em cair ! Nao vale a pena dizer nada mais além que amo você, quando brigamos amo vc quando rimos amo você , quando a piada é interna e o papai não entende nada amo vc, quando escuto suas risadas com a Dri amo os dois !Quando vejo no menino do Mac amo vc , quando lembro dos Cavaleiros do Zodiaco amo vc ! MARIIINN amo vc !Quando vejo o homen preocupado com o trabalho me orgulho e amo vc . Obrigada pela oportunidade de ser sua mãe ! Ah! Ia me esquecendo amo vc !

Anônimo disse...

....Com licença, tô entrando, tô invadindo a privacidade dessa familia.
Que sorte eu tenho, tambem sou dessa familia.
Derramei lagrimas tambem, quase todas de alegria e orgulho .
EU TE AMO mãe, eu te amo filho ........ Isso é tudo . Isso é o que importa .
Parabens aos dois !

Jéssica França disse...

O que posso dizer? É tão perfeito... Tão singular. As mães, como disse, que muitas vezes deixam de ser elas mesmas, pra se preocuparem com a gente... Elas são mesmo perfeitas.

arianemaganhoto@live.com disse...

Simplesmente A-DO-RE-I! Parabéns! Também tenho um blog, segue ai: http://www.anemaganhoto.com/

CAPRONA disse...

Cara, faz tempo que não vejo relatos tão internalizados e cheio de singularidade. Parabéns. Já está no meu blog o seu link