quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Grrr

Já parou para pensar nas chances que se perde por preguiça, negligência, ou simplesmente por piscar os olhos na hora errada? Digo isso porque resolvi insistir em provar que o amor não existe quando ele está bem aí, debaixo do meu nariz. Se eu pelo menos nunca tivesse sentido nada, ou quem sabe se eu fosse um robô e nem tivesse nascido... mas não. É como negar a chuva quando já se está encharcado no meio da rua por causa da água que caiu do céu.
Mas é tão injusto. Como posso querer entrar em um jogo sabendo que vou perder, e perder muito, perder você. Não quero.
Pior é que sei onde encontrar as melhores sensações. Droga, eu deveria me sentir tão sortuda, só em saber que às vezes preciso muito de alguém. Você me faz tão bem e disso não posso fugir. Nem se eu me isolasse por dias. Nem se eu desistisse de abrir a janela e ver o sol, porque sei que ainda assim te veria. Mesmo de olhos fechados e no escuro, te veria. Ainda ouviria sua voz no silêncio. Droga!

Milena Lieto Samczuk

3 comentários:

Camila Caringe disse...

Olha...
Uma bela declaração.
Se for pra vc, meu chapa, considere pedi-la em casamento... rs

O Marginata... disse...

Deixa eu ver o que não dizer?

"Isso é só para loucos, isso é só para raros, caretas não!"

Sério. Se eu parar pra pensar na chances perdidas terei que arrumar mais tempo para pensar na chances que perderei enquanto penso nas que perdi.

O amor não é pra ser entendido na minha humilde opinião e sim pra ser vivido da forma mais intensa.
Mas, mas, mas, nem sempre conseguimos viver o simples.

**RAFA** disse...

lindo o texto gui....
=]

saudades...
beeeijos**