quarta-feira, 8 de outubro de 2008

O Fio e o Fim da Vida

Mais um dia. Amém.

15 pras 7. 7 e 15. Sono atrasado. Sono. Atrasado. Leite quente, chão frio. Ponto ônibus, ponto de partida. Partiu, freiou, bocejo, a mãe e o filho. A poesia desapercebida. A mesa e as fotos. Pausa dramática: lembranças. Email. Mais um e outro. Feijão. Escolha, rua, telefone, 15 pras 2. 2 e 15. Sono. Problema 1, 2 e 3, paciência, 0. 6 e pouco. 6 e muito. Ônibus. Atrasado. Ônibus atrasado. Blusa quente, noite gelada. Ponto de chegada, faculdade, PDV. Partiu, freiou, o grito, a mãe o filho, "Ah puta que pariu!". Que se dane a poesia! A casa e as fotos. Pausa pseudo-dramática: lembranças, telefone. Mensagem e outra. Hambúrger e a indigestão. Escolha, cama e coberta. Preocupação 1, 2 e 3. Paciência? 15 pra meia noite. Meia noite num dia inteiro.

Menos um dia. Amém.

Guilherme Vilaggio Del Russo

3 comentários:

Erika disse...

Nossa, que dramático.
E resume bem a vida...a nossa vida...Que cansaço!

Erika Yumiko

Camila Caringe disse...

Uau!

Aqui, 1h e 54min. Nada (in)completo. Tudo (não) completado. Esperando completa(mente)r mais um dia. Numa (inter)dependência da continuIDADE. E(feito) duelo espaço-tempo dentro e fora da nossa ingenuIDADE.

Camila Caringe disse...

Acabo de me dar conta!
RArO e RAsO são tão parecidos e tão diferentes, né?!

Vc é RArO, Gui!
E por isso mesmo bem profundo...