quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Contraste

Se existe um mal crônico no mundo, esse mal com certeza é esperar dos outros, alguma coisa. Aguardar palavras, gestos e ações que nós consideramos sensatas das bocas e mãos que não são nossas. Exigir quando não se faz. Ser contrastante. O que é mais fácil? Admitir ou argumentar? Obviamente, é mais fácil apontar erros e defeitos alheios do que simplesmente atentar a si mesmo. É cobrar dinheiro quando se deve. Irônico demais.

Esse é o momento bom de ser um pouco mais egoísta e parar para refletir sobre suas ações. Repito: suas ações. O que você efetivamente faz de bom para e com o mundo, e com todo mundo? Você cobra liberdade quando na verdade se acorrenta ao passado? Busca felicidade ao custo da infelicidade do outro? Poder rir em ver o outro chorar. Não existe como ser do bem quando nossas ações não caminham ao lado das nossas palavras. É como cortar uma tira de torta e buscar no pedaço da ponta, mais recheio. Improvável, quase impossível. O grande problema do ser humano é esse. Nossas palavras e nossas ações são, quase sempre, antônimos.

Guilherme Vilaggio Del Russo

2 comentários:

gabitessarin disse...

AMEI ESSE TEXTO...ducaralho mesmo!

coloquei no meu flog tá? parabens!!

www.fotolog.com/gabitessarin

Anônimo disse...

Sou fã de vocês! aqui tem um texto pra cada momento que eu tô passando, acho isso foda.

eu também adoro escrever, mas nada comparado a vocês!

se quiser dá uma olhada :
- www.particularhell.blogspot.com


beijo