segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Um dia para o Pessimismo

É quase robôtico pra mim achar que o mundo gira ao meu redor. Tem vezes que me sinto tão egoísta mas ao mesmo tempo tão culpado, na mesma proporção. Reflexo de uma vida de aparências. E Deus sabe (minto, ele não sabe) que eu não suporto as mais doces mentiras. Nem as mais ácidas verdades. Pago pelos erros alheios mesmo não cobrindo os meus. É como herdar uma luta perdida. Longa e em vão... Sei que autoconfiança é um problema pra mim. Mas, e o que dizer da covardia? Se a vida é incerta, é justo esperar por um caminho mais seguro?

O problema é que eu não sei mensurar. Não sei estar dividido. Conheço somente o estar do lado ou estar distante. Um semáforo que não sabe o que é a cor amarela. E é nessas horas onde o mundo parece ser chato que, infelizmente, eu venho escrever ao invés de falar, de agir. Achar que todo o tempo é tempo perdido. Triste esperar por sonhos. Mais triste é reconhecer fraquezas, adversidades e esperar que o tempo resolva. Ou que de uma vez por todas, acabe.

Guilherme Vilaggio Del Russo

3 comentários:

Anônimo disse...

Acho que você é uma bichinha!

Quer um guarda costas pra tomar conta da sua vida?

Chama o Motinha, futuro Motouro...

Tô vivendo mais intensamente que o normal,e para isso apenas desloquei meu ponto de vista...

"as coisas não são como são", apenas "são como estão"...

Acredito que a solução é não aceitar a mesmice como uma novidade, para que a vida não perca o gostinho de aventura sem fim... assim você ganha forças pra não só continuar em pé, mas correndo em direção aos objetivos seus, ou os da vida por si só.

Lori disse...

Mais uma vez me deixou sem palavras.

Lindo Gui :)

Clara Mello. disse...

é inacreditavel como você consegue me surpreender a cada texto! *.*

parabéns, grande Gui!

:*