sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Um Tanto Assim-Assado

Me olho e vejo usando novamente a camisa que você tanto gostava. Estou usando o perfume que te agrada e lustrei meus sapatos para que aquela habitual sujeira não lhe incomode. Continuo pensando no “seu achar”, mas ao mesmo tempo te quero longe de mim. Ontem, pela madrugada, lutei contra meu orgulho que insistia para que eu não mexesse em sentimentos antigos. Mas fui melhor ( ou pior ) que isso e mexi. Bagunçei mesmo.

Enfim, hoje é o dia te mostrar que mudei, quando na verdade ainda sou o mesmo. Continuo tentando lhe agradar, não só usando a mesma camisa, mas também me usando de sorrisos e planos que saem da minha boca simplesmente para te entreter. Hoje, sinto uma leve frustração de falar tanto no futuro e continuar “brincando” com o que já não faz parte do meu dia-a-dia. Estou mal por ver que estou parado e você cada vez mais distante e mais no futuro.

Cá, estou novamente, vivendo o que já não tem sentido, cá estou eu vivendo o meu passado.
Mas, não há de ser nada, eu sei que o futuro está me acenando lá na frente. É só eu que não quero lhe responder. Por enquanto.


Guilherme Vilaggio Del Russo

3 comentários:

Pentelha disse...

Pentelhoo vc leva mto jeito pra escrever, jah pensou em um livro??
bjãooo te amo!!

Rafaella disse...

nenhuma novidade falar que seus textos são fodas demais e que eu admiro seu jeito de escrever né? blah! enfim... de novo me indentificando com suas palavras!

alguém me ensina a escrever tbm?
auahuahauahuaha =)



bjooooooos gui!

 Maria Fernanda disse...

Primo?

Você escreve tão bem quanto atua, como toca, como dança e como sorri ... você não deve satisfação a ngm, mas só a si mesmo e aos seus sentimentos que talvez não estejam te fazendo bem.

Primo lindo, me add no favoritos :D